Fique Informado Aquecimento Global

Diretoria Executiva da Anffema

 

Elias Cavalcante de Oliveira

Presidente 

 

Vago

Vice-Presidente  

 

Ademar Takeo Matsunaga

Diretor de Administração e Finanças 

 

Antônio Pereira de Morais

Secretário Geral   

 

Jean Túlio Cunha dos Anjos

Diretor de Assuntos Jurídicos 

 

Plinio Lucimar de Medeiros

Diretor de Valorização de Aposentados e Pensionistas

 

Vago

Diretor de Articulação Política e Comunicação Social

 

Vago

Diretora de Assuntos Sócio-Culturais 

 

José Carlos Pereira Leite

Diretor de Assuntos Técnico-Científico 

 

Marcos Antônio Reis Fróes

Ouvidor Geral

 

 

 

Conselho Fiscal da Anffema

 

Aldemar Pereira de Medeiros
Presidente 

 

Edson de Lima Ferreira
Secretário


José Odécio da Costa
Membro 

 

Escrito por secretaria   


Esse número, no entanto, pode ser maior. Os autores – Simon Dietz, Alex Bowen, Charlie Dixon e Philip Gradwell – descobriram que incertezas na estimativa do 'Valor em Risco pelo clima" significam que há 1% de chance de que o aquecimento de 2,5° C em 2100 venha a ameaçar US$ 24 trilhões, ou 16,9% dos ativos financeiros globais. Os autores ressaltam que essas somas são maiores do que os US$ 5 trilhões estimados para a capitalização total do mercado de ações das empresas de combustíveis fósseis hoje.
Segundo os autores, limitar o aquecimento a 2° C em 2100 reduziria significativamente o 'Valor em Risco pelo clima". Nesse caso, o valor médio dos ativos financeiros globais em risco seria de US$ 1,7 trilhão, com 1% chance de que US$ 13,2 trilhões estejam em risco.

O coordenador desse estudo, o professor Simon Dietz, disse: "Nossos resultados podem surpreender os investidores, mas não será surpresa para muitos economistas que se debruçaram sobre os efeitos das alterações climáticas. Ao longo dos últimos anos, os modelos econômicos vêm gerando estimativas cada vez mais pessimistas sobre os impactos do aquecimento global sobre o crescimento economico futuro. Mas também descobrimos que cortar os gases de efeito estufa para limitar o aquecimento global a não mais do que 2° C reduz substancialmente o valor em risco pelo clima, nomeadamente o risco da cauda de grandes perdas. "
Os autores descobriram que mesmo quando se levam em conta os custos da redução nas emissões de gases de estufa para limitar o aquecimento a 2° C, o valor médio dos ativos financeiros globais seria de US$ 315 bilhões, ou 0,2 pontos percentuais maior do que se o aquecimento de 2,5 ° C em 2100 ocorrer por conta do caminho do 'business as usual' nas emissões globais.
De acordo com o Professor Dietz, "Mesmo quando levamos em conta o impacto financeiro dos esforços para reduzir as emissões, ainda percebemos que o valor esperado dos ativos financeiros é maior em um mundo que limita o aquecimento a 2° C. Isto significa que os investidores que não se importam com riscos optariam pela redução das emissões e os investidores avessos ao risco estriam ainda mais ansiosos para fazê-lo".
Ele acrescentou: "Nossa pesquisa ilustra os riscos da mudança climática para os retornos de investimento a longo prazo e mostra por que esta deveria ser uma questão importante para todos os investidores de longo prazo, como fundos de pensão, bem como reguladores financeiros preocupados com o potencial para correções nos preços de ativos devido a uma consciência dos riscos climáticos."
O Professor Dietz também chamou a atenção para as incertezas na estimativa do valor em risco pelo clima: "Embora sejamos os primeiros a produzir uma estimativa completa do Valor em Risco pelo clima usando um modelo econômico, é importante lembrar que existem enormes incertezas e dificuldades em realizar a modelagem econômica das mudanças climáticas, de modo que esta deve ser vista como a primeira palavra sobre o assunto, não a última." (#Envolverde)
* Com informações do Instituto de Pesquisa Grantham sobre Mudança do Clima e do Ambiente.
Por Redação da Envolverde*

 
 
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos
  • Fotos

Enquete

O que você prefere ?
 

Links




Representantes Estaduais da Anffema

 

Manoel Adalberto DouradoGomes
Acre 

Everaldo Rocha de Queiroz
Bahia 

Luiz Carlos Fonseca Meira
Ceará 

Fábio Murilo Wagnitz
Espírito  Santo 

José de Ribamar Costa
Maranhão 

Erivaldo Correia da Silva
Mato Grosso do Sul 

Antônio Maria de Melo Ferreira
Pará 

Ariosto Figueiredo Rios
Paraíba 

Ana Silvia Kozloski Wille de Abreu
Paraná 

 José Maurício Barbosa da Silva
Penambuco 

Aflaudísio Inácio Ribeiro
Rio Grande do Norte 

Lenine Barros Cruz
Tocantins